Oito links que explicam porque o PL da terceirização é ruim para os trabalhadores

37026992abcbf051da5ee110255a3289

Foto: Confetam

A Câmara dos Deputados aprovou na quarta-feira (8), o Projeto de Lei 4330, que amplia as possibilidades de uso de mão de obra terceirizada por empresas. A votação no Plenário e na Câmara foi marcada por grande manifestação do movimento sindical contra a aprovação do PL, considerado uma grave ameaça aos direitos trabalhistas.

O PL prevê a contratação de serviços terceirizados para qualquer tipo de atividade da empresa, o que se contrapõe à lei vigente, que determina que a mão de obra terceirizada só pode ser usada nas funções secundárias. Liberar qualquer tipo de terceirização amplia o regime de contratação e pode levar à redução de salários e direitos.

O Observatório da Sociedade Civil reuniu artigos, entrevistas e reportagens com argumentos que mostram que a aprovação do PL é um risco para todos os trabalhadores.

Leia antes de formar sua opinião:

Vagner Freitas, presidente da CUT, aponta a desregulamentação que o mercado de trabalho sofrerá a partir de agora, as reduções de salários e a visão do movimento

Ampliar a terceirização, que amplia o regime de contratação, possibilita a redução de salários e de direitos

O Juiz do Trabalho Jorge Luiz Souto Maior argumenta sobre a maldade da terceirização, que ataca os trabalhadores

O professor da Unicamp Sávio M. Cavalcante aponta que a aprovação do PL levará à precarização do trabalho e põe em questão se terceirizar as atividades não muda a essência das empresas e sua existência

O jornalista Leonardo Sakamoto argumenta que a aprovação cerceia os direitos trabalhistas e sociais e aponta que diversas situações de trabalho escravo surgiram pela terceirização nas empresas

Paulo Moreira Leite, do Brasil 247, faz uma analogia entre a aprovação do PL e a escravidão, mostrando que as mudanças que este prevê são um atraso na história brasileira

Paulo Vannuchi, da Rede Brasil Atual, estampa a diferença entre a classe dos trabalhadores, que lutam por direitos, e as empresas, interessadas no lucro

Marcos Verlaine, da DIAP, defende a importância do movimento sindical se posicionar para barrar a terceirização, que é uma consequência do capitalismo

Veja mais matérias sobre movimento sindical:

Movimentos e sindicatos querem ‘saída pela esquerda’ para crise política e econômica

Disputa das ruas é caminho para fortalecer agenda progressista

Centrais sindicais e movimentos populares vão às ruas contra lei das terceirizações

Papel da CUT e dos movimentos é combater retrocesso, diz Freitas

Advertisements

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out / Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out / Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out / Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out / Change )

Connecting to %s

%d bloggers like this: