Debate busca novos caminhos para o desenvolvimento brasileiro

Promovido pelo Observatório e pelo site Outras Palavras, evento “Impasses brasileiros: alternativas da sociedade civil para um desenvolvimento socioambientalmente justo” acontece no dia 29 de julho, em São Paulo, com transmissão on-line. Representantes do MTST e Instituto Socioambiental participam do debate

debate-caminho-desenvolvimento-sustentavelO Brasil vive hoje um impasse político, econômico e social. Pressionado pelo prolongamento da crise internacional, o governo Dilma Rousseff adotou um “ajuste fiscal” regressivo, ao mesmo tempo em que mantém um modelo de desenvolvimento calcado em obras faraônicas e apoio ao agronegócio predatório, colocando em risco o meio ambiente e atacando os direitos de povos indígenas e comunidades tradicionais. Por outro lado, a oposição de direita, cuja visão econômica é uma ameaça ainda mais perigosa para os direitos sociais, utiliza as investigações de corrupção em curso para tentar inviabilizar o governo, com amplo apoio da grande mídia.

Há alternativas – ainda que ocultas pela imprensa – a esse falso dilema. Em todo o país, organizações e movimentos sociais desenvolvem projetos que demonstram: existem outros caminhos para um desenvolvimento socialmente justo, que respeite as tradições dos povos originários e promova uma relação responsável com a natureza. São ações que estão em linha com a Carta de Santa Cruz, documento final do Encontro Mundial de Movimentos Populares, que defende a superação de um “modelo social, político, econômico e cultural onde mercado e o dinheiro se converteram nos reguladores das relações humanas em todos os níveis”. A preocupação também aparece na encíclica Laudato Si, em que o Papa Francisco adota uma postura importante em defesa da justiça social e da preservação do meio ambiente.

Vários exemplos dessas iniciativas estão no livro Caminhos para um Desenvolvimento Justo – A sociedade civil na linha de frente da luta socioambiental, lançado recentemente pelo Observatório da Sociedade Civil. Por meio de quatro reportagens, a publicação traz as ameaças e saídas encontradas pela cidadania organizada na região amazônica, no cerrado, no semiárido e em grandes metrópoles brasileiras. São ações que desenham os contornos de um outro paradigma de desenvolvimento, que deixe de lado o consumismo e valorize a democracia, a participação social e o saber local.

Para divulgar e aprofundar as discussões trazidas pela publicação, o Observatório da Sociedade Civil e o Outras Palavras promovem o debate “Impasses brasileiros: alternativas da sociedade civil para o desenvolvimento socioambientalmente justo”. O evento contará com nomes da sociedade civil organizada que estão discutindo um outro paradigma de desenvolvimento. Em comum, as trilhas propostas passam por uma radical ampliação da democracia, com mais participação e protagonismo dos/as cidadãos/ãs e outra concepção de economia.

O evento será transmitido online. Publicaremos no site e nas redes sociais o link para a transmissão assim que possível. Acompanhe novidades sobre o debate aqui.

Confira a programação do debate:

Debatedores:

– Antonio Martins, editor do site Outras Palavras

– Ivo Lesbaupin, diretor-executivo da Abong

– Natalia Szermeta, da coordenação estadual do MTST (Movimento dos Trabalhadores Sem-Teto)

– Paulo Junqueira, coordenador adjunto do Programa Xingu do Instituto Socioambiental (ISA)

Mediação: Bianca Pyl, jornalista e autora da reportagem Caminhos para um Desenvolvimento Justo

Local: Ateliê do Gervásio (Rua Conselheiro Ramalho, 945 – Bixiga – São Paulo)

Horário: a partir das 19h30

Advertisements

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out / Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out / Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out / Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out / Change )

Connecting to %s

%d bloggers like this: