Pastoral Carcerária realiza seminário sobre encarceramento em massa e privatização do sistema

Entre 28 e 30 de agosto, a Pastoral Carcerária realizará, em Goiânia (Estado de Goiás), oEncontro Nacional sobre Privatização do Sistema Prisional, com a presença dos coordenadores estaduais da Pastoral e dos integrantes da coordenação nacional: Padre Valdir João Silveira (coordenador), Gianfranco Graziola (vice-coordenador), Irmã Petra Silvia Pfaller (coordenadora para as questões da mulher presa), Padre Almir José Ramos (assessor para as questões de saúde) e Paulo Cesar Malvezzi Filho (assessor jurídico).

Como parte das atividades do encontro, acontecerá no sábado, 29, o seminário Encarceramento em Massa e Privatização do Sistema Prisional, aberto à participação de todos os interessados. Para o seminário, já confirmaram presença Eduardo Moura Nascimento, agente penitenciário; Gustavo Martineli Massola, professor doutor do Instituto de Psicologia da USP [Universidade de São Paulo]; e Haroldo Caetano, promotor de justiça do Estado de Goiás. Paulo Cesar Malvezzi Filho, assessor jurídico nacional da Pastoral Carcerária, também será um dos debatedores.

reproducao
Dezenas de presídios já estão sendo privatizados em todo o país, atendendo a interesses empresariais.

O seminário, assim como o Encontro Nacional da Pastoral, acontecerão no Instituto São Francisco de Assis (rua 228, nº 36, Setor Coimbra, Goiânia/GO).

A privatização de presídios é a solução?

Com mais de 600 mil pessoas presas, o sistema carcerário brasileiro é o quarto maior do mundo, atrás apenas da Rússia (673,8 mil), China (1,6 milhão) e Estados Unidos (2,2 milhões), conforme dados do Ministério da Justiça.

Nas prisões de todos os estados brasileiros, predominam a superlotação, a violação de direitos e os recorrentes casos de maus-tratos e torturas. O encarceramento em massa da população pobre e periférica, majoritariamente negra, joga, a cada dia, milhares de mulheres e homens para as precárias condições de sobrevivência nas prisões.

A opção pelo encarceramento em massa e a precarização da vida humana nas cadeias não trouxe nenhuma melhora na segurança pública. Ao contrário, os índices de violência, nos últimos 25 anos, além de aumentarem e atingirem patamares hiperbólicos, vitimizam, preponderantemente, pessoas pobres, pretas, periféricas e de baixíssima escolaridade.

A Pastoral Carcerária assinala que, mesmo diante da evidente constatação de que encarcerar não é solução para a violência, o Estado, em vez de propostas para o fim do encarceramento em massa e das políticas repressivas, apresenta, recorrentemente, “soluções” ainda mais encarceradoras, com o pretenso objetivo de combater as violências e tornar as unidades prisionais mais eficientes. Dentre elas está a privatização do sistema carcerário e a terceirização de serviços das cadeias.

Em recente estudo, publicado em 2014, a Pastoral Carcerária constatou: “a relação custo/benefício da privatização não tem sido vantajosa para a administração pública, tanto com base em considerações legais quanto financeiras”.

No mesmo estudo, a Pastoral recomenda “reverter imediatamente o processo de privatização em curso e buscar meios de tornar a administração penitenciária pública mais eficiente e aparelhada com instrumentos de controle externo da atuação dos agentes penitenciários, para assegurar maior transparência na atuação e apurar as responsabilidades” (Prisões privatizadas no Brasil em Debate).

SERVIÇO:

Seminário “Encarceramento em Massa e Privatização do Sistema Prisional”

Sábado, 29 de agosto, das 9h às 12h30

Local: Instituto São Francisco de Assis (Rua 228, nº 36, Setor Coimbra, Goiânia/GO).

Fonte: Adital

Advertisements

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out / Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out / Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out / Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out / Change )

Connecting to %s

%d bloggers like this: