Marcha pela Vida das Mulheres e pela Agroecologia reunirá 5 mil agricultoras no dia internacional da mulher em Areial, na Paraíba

Marcha é realizada há 6 anos pelo Polo da Borborema, uma articulação de 14 sindicatos rurais e organizações da agricultura familiar do Agreste Paraibano

Todos os anos, Ligória Felipe dos Santos, agricultora do Sítio Lagoa do Sapo, município de Esperança-PB aguarda com ansiedade, o dia 08 de março para participar de mais uma edição da Marcha pela Vida das Mulheres e pela Agroecologia. “Posso dizer que foi a partir do momento que eu fui à primeira marcha que hoje eu estou de pé e posso caminhar”, conta a agricultora que começou a participar em 2013. Aos poucos, Ligória foi deixando para trás uma vida de opressão, quando reuniu forças para enfrentar a violência que ela e os filhos sofriam por parte do marido. Mas na sociedade essas violências se renovam todos os anos. “Na minha comunidade, agora a pouco, apareceu um projeto para a construção de um tanque de pedra, de vários homens, nenhum se propôs participar. Então eu fui e coloquei o meu nome para trabalhar. Eles não queriam me deixar porque eu sou mulher, mas eu insisti. No primeiro dia de trabalho fui lá, peguei a colher e comecei a fazer o serviço. E eu disse que se não me deixassem trabalhar, eu ia lá na próxima Marcha, ia subir no palco e falar que estão me discriminando”, disse.

No próximo 08 de março, o Polo da Borborema e a AS-PTA Agricultura Familiar e Agroecologia realizarão a sétima edição da Marcha pela Vida das Mulheres e pela Agroecologia, no município de Areial, localizado a 35 km de Campina Grande. Assim como Ligória, espera-se que mais cinco mil agricultoras possam marchar em busca de igualdade, de justiça, em busca de direitos. A Marcha é realizada desde 2010, sempre em um dos 14 municípios onde as duas entidades atuam pelo fortalecimento da agricultura familiar agroecológica, há mais de 20 anos.

marcha mulheresA Marcha é a expressão do trabalho que a Comissão de Saúde e Alimentação do Polo da Borborema vem desenvolvendo ao longo dos anos de resgate e valorização das experiências das mulheres agricultoras, bem como de denúncia e superação da violência sofrida por elas. Todos os anos, dezenas de reuniões de preparação ocorrem nas comunidades dos 14 municípios. Nestes espaços, as mulheres são encorajadas a falarem das suas experiências e apoiarem uma às outras, questionando as relações de desigualdade dentro da agricultura e identificando as mais variadas formas de violência a que estão submetidas.

Programação – A concentração acontecerá, no Sítio Areial II, no Campo do Cruzeiro, às margens da rodovia PB-121, onde serão acolhidas as caravanas de outros municípios e de outras regiões do estado. Antes de caminhar, uma peça encenada pelo grupo de teatro amador do Polo da Borborema ajudará a promover a reflexão sobre as desigualdades entre homens e mulheres. O espetáculo vai retratar o cotidiano de uma família de agricultores na qual as mulheres sofrem vários tipos de violência de gênero dentro de casa. Esse ano, o espetáculo intitulado: “Acorda, Biu!”, será uma alusão ao curta-metragem, de 1990, “Acorda, Raimundo, Acorda!” do diretor Alfredo Alves que mostra a opressão de gênero com papéis invertidos entre homem e mulher.

marcha mulheresApós a peça, a caminhada seguirá rumo ao centro de Areial. Durante o percurso, as mulheres serão acompanhadas por carros de som, darão seu grito pelo fim de todas as formas de violência contra a mulher. Expondo cartazes, faixas e bandeiras, as participantes seguirão marchando, cantando e dando também depoimentos de superação. A Marcha é um espaço de visibilidade do trabalho das agricultoras e sua importante contribuição para o desenvolvimento da agricultura familiar, um trabalho que por muito tempo esteve invisível aos olhos da sociedade.

Lia de Itamaracá – Na Praça Central, haverá um segundo palco e uma feira montada com experiências e produtos da agricultura familiar produzidos pelas mulheres na forma de bolos, doces, polpas de fruta, tapiocas, frutas, hortaliças, artesanatos e outros. A cirandeira pernambucana Lia de Itamaracá é a grande convidada deste ano e animará o show na praça. Após a apresentação, haverá o encerramento da Marcha, por volta das 13h e o retorno das caravanas.

Além das mulheres do Polo da Borborema, todos os anos a Marcha conta ainda com a participação de representantes do GT de Mulheres da Articulação do Semiárido Paraibano (ASA Paraíba), representantes da ASA Brasil, do Coletivo de Mulheres do Campo e da Cidade, do Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem Terra da Paraíba (MST-PB) e de outros movimentos rurais e urbanos de mulheres.

Fonte: AS-PTA

Advertisements

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out / Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out / Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out / Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out / Change )

Connecting to %s

%d bloggers like this: