Livros contam a história de vidas marcadas pelas violações na cidade olímpica

Três vezes removida na vida,  a história de Mariza é a máxima expressão da atrocidade das máquinas que não podem esperar nem um minuto / Foto: Aline Furtado

Lançamento dos livros Atingidas: história de vida de mulheres na cidade olímpica e Cidade em jogo acontece na semana que antecede os jogos

Durante a Jornada de lutas Rio 2016 Jogos da exclusão, no dia 3 de agosto, quarta-feira, das 10h às 12h, no IFCS, ocorre o lançamento dos livros Atingidas: história de vida de mulheres na cidade olímpica (Pacs com apoio de DKA) e Cidade em jogo (Fundação Rosa Luxemburgo).  As publicações serão lançadas durante a roda de conversa Olhares e narrativas da vida na cidade olímpica com a presença de fotógrafos, autores/as e entrevistados/as. Os dois livros trazem fotografias e perfis jornalísticos com histórias marcadas pelas violações de direito no contexto das Olimpíadas. Confira mais informações sobre as publicações abaixo.

Atingidas: história de vida de mulheres na cidade olímpica

Questionada sobre o porquê de encontrarmos sempre mulheres à frente da luta contra as violações de direitos, Maria da Penha, símbolo da resistência contra as remoções na Vila Autódromo, respondeu: “Uma vez minha filha falou que a mulher é a árvore da casa. Ela sustenta todos os galhos. E é verdade. E, na luta da comunidade, também você vê que tem mais mulheres à frente. Porque aquela é sua casa, é sua história, é sua vida”.

As mulheres estão e sempre estiveram na linha de frente da luta por paz e justiça em todos os territórios do sul global onde direitos e vidas estão em perigo. Nesta publicação bilíngue (Português / Inglês), produzida pelo Instituto Pacs com o apoio da DKA, estão reunidas as histórias de mulheres à frente das resistências populares no Rio Olímpico com textos e fotografias de cada uma delas. A publicação também reúne artigos analíticos de mulheres que vêm acompanhando de perto os processos de exclusão, construindo a resistência e incidindo sobre espaços de participação.

Os temas das histórias passam por remoções, restrição ao direito ao trabalho e ao esporte. O critério de escolha das entrevistadas seguiu o “calor” do momento na cobertura ao longo de 2015 e 2016. Os impactos das remoções são o tema central das conversas com Maria da Penha, Mariza do Amor Divino e Suely Campos. A repressão ao trabalho dos ambulantes nas ruas é o mote do perfil de Maria de Lourdes. Edneida Freire fala do impacto do fechamento do Célio de Barros, Mônica Lima resgata a repressão à Aldeia Maracanã, Rita Barbosa conta das obras olímpicas os impactos na agricultura urbana, e Indiana Siqueira expõe as marcas da repressão na Cidade Olímpica para as mulheres trans.

Cidade em jogo

A capa de Cidade em jogo é uma fotografia em preto e branco de Luiz Baltar. Escombros, entulho e um céu ameaçador. Logo se percebe o caminhão-caçamba, as casinhas no morro. Uma mulher no centro da foto. Uma pichação diz: “somos seres humanos”. Outra: “onde vamos louvar?”.  Na contracapa, a foto continua. Um caminhão de fretes e mudanças. Ainda se lê “fora Fifa, queremos casa”. Em poucos segundos, a fotografia conta a história de um lugar, apresenta personagens, faz uma denúncia e explica quem são os algozes. O local da foto é a área da favela Metrô-Mangueira, no entorno do Estádio Maracanã.

Cidade em jogo traz fotografias de AF Rodrigues, Elisângela Leite, Kátia Carvalho, Luiz Baltar, Rosilene Miliotti e Thiago Diniz, com texto de Dante Gastaldoni. A organização é de Laura Burzywoda, Leonie Heine e Moritz Heinrich, do Grupo OXIS. O livro é bilíngue, em alemão e português, publicado pela Fundação Rosa Luxemburgo, com download gratuito on-line.

Participantes da conversa

Rita Barbosa é agricultora urbana, produtora de hortaliças orgânicas e xaropes naturais. Participa das feiras agroecológicas da Freguesia e de Vargem Grande. Teve sua casa e sua horta destruídas pelas obras olímpicas.

Sandra Quintela é feminista, socioeconomista, educadora popular e coordenadora do Instituto Pacs. Integra as frentes de luta e resistência aos megaeventos desde o Pan, em 2007.

Thiago Mendes é jornalista, comunicador popular e integra a equipe do Instituto Pacs. É organizador do livro Atingidas.

Dante Gastaldoni é professor de Fotojornalismo na Universidade Federal Fluminense e na Universidade Federal do Rio de Janeiro, atuando também como coordenador acadêmico da Escola de Fotógrafos Populares desde 2006.

Rosilene Miliotti é fotógrafa da Agência Imagens do Povo. Fez a Escola de Fotógrafos Populares em 2007. Ela mora na comunidade Parque União, no Complexo da Maré.

EVENTO: Olhares e narrativas da vida na cidade olímpica

Gratuito e aberto

Data: 3/08/2016, quarta-feira

Horário: das 10h às 12h

Local: IFCS – Instituto de Filosofia e Ciências Sociais da UFRJ

Endereço: Largo São Francisco de Paula, Centro, Rio de Janeiro (RJ)

Mais informações: (21) 2210-2124 (Iara Moura e Thiago Mendes – Comunicação Pacs)

(11) 3796 9901 (Ana Rüsche – Comunicação Rosa Luxemburgo)

Confirme presença: https://goo.gl/u2Kffc

Fonte: Instituto Pacs

Advertisements

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out / Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out / Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out / Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out / Change )

Connecting to %s

%d bloggers like this: